Além do incidente com a internet durante um seminário que eu estava dando, outra coisa me perturbou bastante esse fim de semana: um episódio de paralisia do sono.

Mas não foi um episódio qualquer de paralisia do sono, envolvia meu cachorro.

Meu cachorro morreu ano passado.

Eu me percebi deitado, olhando para o teto do quarto. Minha visão periférica permitia enxergar no escuro a silhueta dos móveis, uma parte da porta aberta e uma luz esmaecida que vinha da rua, passando pela cortina.

Até que eu senti que algo estava andando por cima dos meus pés.

Meus pés estavam cobertos…


Entrei na loja de ferragens para comprar pilhas AAA, porque o teclado e mouse da Dell devoram as pilhas de maneira assombrosa. O cara coloca no saquinho, me passa maquininha e digito a senha. Entra outro sujeito na loja:

— Seu Antônio, o Bolsonaro enlouqueceu dessa vez.

Olhei para o balconista, o Seu Antônio, que olhou para o sujeito, franzindo o cenho.

A maquininha demorava a processar a venda.

— Perdeu a noção. O Bolsonaro enlouqueceu, seu Antônio.

Ainda segurando a maquininha, eu disse:

— Porra, e vocês só perceberam isso agora?

Seu Antônio olhou para mim e por baixo…


Children of Men (2006), de Alfonso Cuarón.

Ontem reassisti na Netflix um dos meus filmes favoritos de todo os tempos, Filhos da Esperança (Children of Men, 2006, baseado no livro homônimo de P. D. James de 1992), dirigido por Alfonso Cuarón. O filme, vocês sabem, trata de um futuro bem próximo — 2027 — em que o mundo está em colapso. Catástrofes ambientais em todo o planeta, o Reino Unido isolado do resto da Europa, índices de desemprego imparáveis, refugiados mantidos em jaulas, sucessivas epidemias de gripe, ataques terroristas, extremismo religioso, avanço do autoritarismo e guerras civis em várias partes do mundo. O filme pareceu terrivelmente real.


Gente, venho aqui contar a vocês que estou com um projeto novo que envolve SONHOS.

Quem quiser participar, assina a newsletter do Onironauta Diário:

http://tinyletter.com/OnironautaDiario/

Nessa newsletter enviarei mini contos, notícias sobre a mente e os sonhos, imagens e sons que inspirem sensações oníricas, enfim, coisas legais. Prometo!

Escreva também para estanoitesonheique@gmail.com contando seu sonho, colocando no “Assunto” do email o seu Estado, Cidade, Bairro, Gênero e Idade. Assim mesmo, separado por vírgulas.

A ideia é fazer um “mapa” dos conteúdos que as pessoas têm sonhado durante esse período em isolamento social e pandemia.

Aguardo vocês!


Se você ainda não assistiu à série, vai lá assistir e depois volte, ou não, fique e tome spoilers, porque o que farei a partir daqui é falar sobre vários elementos que atravessam os oito episódios de Freud (Netflix, 2019).

O primeiro que precisamos fazer é afirmar que não é o Sigmund Freud histórico que conhecemos. Ter isso em mente nos ajuda a aceitar melhor a história, sobretudo o primeiro e controverso episódio.

O segundo que precisamos fazer é esquecer a sinopse que circulou por aí, que seria uma série em que um jovem Dr. Freud ajudaria a investigar um…


Esta madrugada passei por uma experiência estranha o bastante para eu questionar momentaneamente meu ceticismo.

Moramos apenas o Tacuba, cachorro, e eu, humano, em um apartamento pequeno mas confortável, e raramente recebemos visitas.

Entretanto senti nitidamente uma terceira presença na casa.

Estava no escritório vendo série porque me deu preguiça de levar o computador para a sala e instalá-lo na TV.

A casa inteira apagada, só a luz do abajur do quarto e o monitor acesos.

Ouço um barulho na sala e ignoro, porque penso que o Tacuba estava na cozinha mijando ou bebendo água, e devia ter passado para…


Em um vídeo do YouTube - que parece ser um dos clipes que o Fantástico fazia no fim dos anos 70/80 pra promover artistas e músicos brasileiros - Belchior aparece estupendo de camiseta regata com S no peito e calças boca de sino, nosso super-homem nietzscheano.

A música “Na hora do Almoço” de Belchior foi apresentado a mim pelo meu amigo Moacir Lourenço. Foi perto da época da publicação do meu primeiro livro, Vidas Despercebidas, e eu recém tinha sido apresentado ao disco, Alucinação (1976), pela minha amiga Estela Rosa. Essa música não faz parte deste disco, é de outro: Belchior (1974), que vim a conhecer depois.

Só que ela é ainda mais antiga. É de 1971 quando ele concorreu com ela no IV Festival Universitário de Música Brasileira, promovido pela TV Tupi do Rio de Janeiro em agosto de 1971. Ganhou o troféu Bandolim de…


Há dias estou encarcerado na sala de aula da Professora Zuleika, personagem escrita e interpretada por Carine Klimeck, autora da peça Giz 9 — Uma tragicomédia, dirigida pela minha querida amiga Thais Loureiro.

Entrincheirada e vestindo um colete à prova de balas, Zuleika escreve em um quadro negro a data: agosto de 2064. Nesse futuro distópico, intimidada pelas câmeras de vigilância instaladas na sala de aula de uma escola pública da periferia, a professora estampa no rosto um sorriso que é quase uma deformidade. …


The Throes of Creation — Leonid Pasternak

Ser escritor pode ser muito estressante às vezes.

Ter um texto emperrado ou mesmo o desafio de começar do zero uma história — o frio na barriga do encontro com a página em branco — é capaz de atormentar muitas pessoas que escrevem.

Já soube de gente com dificuldade de terminar seus textos, não por não saber como empregar um desfecho à história, mas pela angústia da despedir-se dos personagens ou do universo criado.

O que mais me entristece é não conseguir motivação para escrever.

O tempo gasto no transporte público, as caminhadas com o Tacuba pelo bairro, as faxinas…


Para entendermos a condenação contra o Danilo Gentili é preciso lembrarmos alguns fatos.

Em abril de 2016, a deputada do PT Maria do Rosário, em seu perfil no Twitter, saiu em defesa de Jean Wyllys, que cuspiu em direção a Jair Bolsonaro durante uma sessão na Câmera dos Deputados depois de ser ofendido por este e pelo filho, Eduardo Bolsonaro, e também defendeu o ator e militante político José de Abreu — aquele que outro dia havia se autodeclaro presidente — por ter sido flagrado ao cuspir em um casal num restaurante em São Paulo depois de ter escutado uma…

Pacha Urbano

Aqui escrevo e me leio.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store